BLOG da Biblioteca escolar do AGRUPAMENTO DE ESCOLAS ALTO DOS MOINHOS - Terrugem

20 novembro, 2010

Os 11 proprietários do livro

Para o EDITOR é mais uma propriedade, uma propriedade legal;
Para o ESCRITOR é a sua obra, uma espécie de "filho" ou uma propriedade intelectual;
Para o ILUSTRADOR é uma forma de expressão, uma propriedade artística;
Para o DISTRIBUIDOR é um produto, uma propriedade física e objectiva;
Para o LIVREIRO é literalmente uma propriedade para sobreviver;
Para a BIBLIOTECA é um recurso imprescindível, e está numa propriedade da CDU;
Para o MEDIADOR é um veículo para a mensagem, é uma propriedade de passagem;
Para o EDUCADOR é um instrumento pedagógico, é uma propriedade educativa;
Para o CRÍTICO, é um alvo, dir-se-á que é uma propriedade de testes;
Para o PAI pode ser um objecto produtor de abraços, mas deve ser uma propriedade activa do seu filho;
Para o FILHO é um mundo, é a Terra do faz-de-conta, é uma propriedade para aprender e voar!...

E tu já pensaste em ser também um proprietário ou aumentar as tuas propriedades de palavras?... Entre 6 a 10 de Dezembro irá decorrer na Biblioteca do Agrupamento, mais uma FEIRA do LIVRO. Já sabes que haverá muitas propostas interessantes "em cima da mesa" e a bom preço. Não faltes e passa a mensagem!

Rui Beato

03 novembro, 2010

CONCURSO AVENTURA-TE! em Escrita Criativa

“A Escrita Criativa tem como objectivo, desenvolver a capacidade de associar ideias, imagens, memórias, situações, transformando-as num texto. O aluno, em vez de ser confrontado com uma folha de papel em branco, encontra-se com um constrangimento que o “empurra” para situações criativas, para a elaboração de conflitos geradores de histórias, para a construção de personagens. Aprende, desta forma, a auto-induzir o estado criativo que lhe permitirá produzir textos mais facilmente.”
Margarida Fonseca Santos (escritora) in P.G. Livro Infantil 2010
___________________________________________________________
Ser escritor: uma visão particular
A escrita é como um raio de sol, pode ser ténue e morrer à nascença ou mesmo grandioso e aquecer uma multidão. O que importa é que a chama nunca se apague, mesmo que o calor fique guardado só no interior de cada um.Considero um escritor um deus criador, numa versão light, limitado ao seu mundo de imaginação. Cria as personagens, inventa os sentimentos, as emoções, controla o tempo, o espaço, a forma, as causas e até as consequências. Dir-se-á que lança os mandamentos para colher as reacções. As reacções do leitor. Veste o fato de grande pequeno deus que, com o dom da sua palavra consegue perverter a possibilidade de escolha, de um pensamento comum. O escritor agita, perturba, assusta ou entretém. O escritor provoca, elucida, informa ou influencia. O escritor esclarece mas também engana. Manipula. Umas vezes valoriza outras marginaliza. Numas é imparcial e consciencioso, noutras pode ser um pouco tendencioso. O escritor bebe do que o rodeia e dá a beber o que consumiu. O tamanho da sua fonte implica a qualidade da sua água. A água das palavras que nunca é pura mas sempre adulterada. Tratada. Ele coloca o açúcar ou o mel, o sal ou o fel. Torna as palavras doces, amargas, ácidas e por vezes insonsas. O poder da escrita não passa apenas pelo estilo, pela estética, pela fonética ou pela métrica! O poder surge da alma, do espírito, da vontade ou do desassossego! Corrompe, revela, excita e faz ver quem é cego… Se a uns diverte a outros vicia. Se a uns traz sobriedade a outros inebria. Desde a perfeita exactidão até à grande utopia. As palavras do escritor são o código daquilo que conhecemos mas também do que não conhecemos. Do conhecimento da pluralidade ao desconhecimento da individualidade. Ser escritor é querer deixar uma marca na existência. É descontrolar a necessidade da procura da verdade ou por outro lado, saber controlar uma imaginação desenfreada pela procura do fantasioso, do irreal e do transcendente.
Quando o escritor escreve, algo nasce. Perfeito ou imperfeito é sempre um filho e tal como um pai não o deve rejeitar. Aceita-o, educa-o, escreve-o ou reescreve-o. Também o protege e alimenta com o melhor possível da sua escrita, pois seja construtiva ou destrutiva, o que importa é ser criativa!
Prof. Rui Beato
Concurso
Destinatários: alunos do 4º ao 9º ano de escolaridade
Regulamento:
Submissão dos trabalhos:
- os trabalhos deverão ser realizados em folha A4, letra Arial e tamanho 14, contendo no canto superior esquerdo, o nome, a data de nascimento, o ano e a turma. O texto deverá conter o número e título do exercício de escrita criativa proposto;
- cada aluno poderá concorrer a apenas 2 exercícios;
- os trabalhos deverão ser entregues na Biblioteca do Agrupamento, junto da prof.ª Cecília Ivo ou ao prof. Rui Beato;
- a data limite para a entrega dos trabalhos será 24 de Novembro de 2010;
- serão apurados os vencedores no dia 2 de Dezembro, sendo que, o júri (prof. Rui Beato, prof. Bruno Tavares e prof.ª Cecília Ivo) irá seleccionar os 2 melhores trabalhos de cada exercício por cada ano de escolaridade. Os vencedores receberão um “prémio surpresa” na Biblioteca do Agrupamento em data a divulgar posteriormente. Os seus trabalhos serão publicados neste Blog.

Exercício 1 – “Letra pega letra” (com muito, pouco ou algum sentido)
Escrever um texto com cerca de cinco linhas da seguinte forma: cada palavra usada começa com a mesma letra com que acaba a palavra anterior. Ex. Quem mergulhasse era atleta, afiançou um miúdo. Outro, ousou dizer: Receberá algumas surpresas...
Exercício 2 – “ Com princípio, meio e fim”
Escrever um texto em que estas frases entram: uma logo no início, a outra a meio, a terceira no fim (uma página).
1-    Já sabia o que o esperava, mas não hesitou.
2-    De súbito, reparou que alguém lhe acenava.
3-    Conquistou o topo com sacrifício, mas nunca desistiu pois isso nunca fez parte dos seus planos.
Exercício 3 – “Escrita diversa mas sem conversa”
Escrever dois pequenos textos (máximo 15 linhas cada) de acordo com a temática apresentada:
1-    Mini história de suspense
2-    Carta de despedida muuuito triste
3-    Elogio fúnebre, público (a alguém que partiu)
4-    Mensagem de amor a si próprio (olhando-se ao espelho)
Exercício 4 – “Poesia – A timidez”
Escrever um pequeno poema (máximo 15 linhas) sobre o tema do título indicado. Deverás tentar ser o mais criativo possível, sendo que é sempre possível e útil o recurso a comparações, sentimentos, rimas non sense (sem sentido), etc…

Espero que estas propostas não te tenham assustado. Está no papo! Ficamos à espera dos teus trabalhos e, se puderes passa a mensagem aos colegas que ainda não tiveram conhecimento. Há prémios hiper, super, mega fixes! AVENTURA-TE!!!